ROBERTO PINHEIRO ACRUCHE PROCLAMADO INTELECTUAL DO ANO DE 2014.

ROBERTO PINHEIRO ACRUCHE PROCLAMADO INTELECTUAL DO ANO DE 2014.

TU DIZES BEM ALTO E FORTE

DA CASINHA, APRECIANDO,

ROBERTO PINHEIRO ACRUCHE É ELEITO PRESIDENTE DA ACADEMIA PEDRALVA LETRAS E ARTES PARA O BIÊNIO 2014/2016

A Academia Pedralva Letras e Artes – numa eleição considerada histórica, elegeu ontem dia 23/11, por unanimidade de votos dos participantes da reunião, sua nova Diretoria para o biênio 2014/2016. O clima de paz, unidade e de grandes perspectivas reinou durante o evento. A Diretoria ficou assim constituída: Presidente – Roberto Pinheiro Acruche Vice-Presidente – José Gurgel dos Santos Secretário Geral – Carlos Augusto Souto de Alencar Secretário Adjunto – Thelmo Albernaz Tesoureiro Geral – Vitória Rangel Tesoureiro Adjunto – Ana Lúcia Diretor de Patrimônio – Aldinei Conselho Fiscal: Agostinho Rodrigues Herberson Fretais e José Viana.

EXPOSIÇÃO DAS OBRAS LITERARIAS DE ROBERTO PINHEIRO ACRUCHE



Estou extremamente honrado com a exposição de minha obra literária promovida pelo CIEP-470 em São Francisco de Itabapoana. Agradeço a Direção da Escola e a todos que se empenharam para realização deste projeto.

A FORÇA DA FÉ

A FORÇA DA FÉ
      Roberto Pinheiro Aceruche
Por que tudo que sonho
está tão distante
e não posso alcançar?

Por que minhas vitórias
são tão sofridas, lutadas,
somente alcançadas
no limite da tolerância?

Por que tantos obstáculos
no meu caminho, desilusão,
tanta ingratidão sofrida?

Será uma provocação a minha fé?...
Persista, ela não tem limite,
é forte, acredite,
é meu rumo, é minha vida.

UM AMIGO

UM AMIGO

                                               Roberto Pinheiro Acruche

 

Um amigo de verdade, é aquele:

Companheiro de todos os momentos

Que podemos contar com ele

Mesmo sem provimentos.

 

Um amigo de verdade, é aquele:

Que nos promove esperança

Que podemos contar com ele

Que conosco quer fazer aliança.

 

Um amigo de verdade, é aquele:

Que não desaparece

Quando algo ruim nos acontece...

 

É aquele que nos conduz

Que ouve as nossas preces

Que podemos contar com ele... JESUS!

 
 

SONHOS NAUFRAGADOS


DIA DAS CRIANÇAS - HOMENAGEM II

DIA DAS CRIANÇAS - HOMENAGEM

FANTASIA           
                    Roberto Pinheiro Acruche

Num aviãozinho, de papel, de cor azul, viajei pelo universo...
Naveguei nas nuvens
Passei pelas estrelas
Visitei a lua cheia
Pairei por distantes planetas
Avistei inúmeros cometas.
Quando cruzei o arco-íris...
Acordei do mundo da fantasia.

VIII JOGOS FLORAIS DE CAMBUCI-RJ

Poeta e trovador Renato Alves-RJ e Roberto Acruche, participando dos Jogos Florais de Cambuci-RJ a convite da Academia de Letras e Artes de Cambuci.

QUANDO


QUANDO
                               Roberto Pinheiro Acruche

Quando as gotas d’água
romperem as pedras dos meus caminhos,
cicatrizarem no meu peito as feridas
provocadas pelos espinhos
da desilusão...
Quando o tempo
arrancar do meu coração
as sequelas da falsidade
e a perfídia for tragada
pela fidelidade...
Quem sabe,
encontrarei razão para viver
e os meus versos
falarão de um outro amor?

SOCIEDADE DE CULTURA LATINA PREMIOU...

A MENSAGEM DE JESUS

O CHAPÉU DO GABRIEL - HOMENAGEM

LUZ DOS MEUS SONHOS

DESFILE CÍVICO 2013 EM SÃO FRANCISCO DE ITABAPOANA-RJ

 Fiquei muito honrado, emocionado e agradecido pelas homenagens que recebí da E.M. Otávio Pinto de Oliveira (Boca da Areia) no desfile cívico, comemorativo a independência do Brasil, ocorrido no dia 06/09/2013 em minha cidade natal, São Francisco de Itabapoana-RJ. Agradeço de coração ao Diretor da Escola -Rodrigo, aos Professores e Alunos, pelo belo momento que me proporcionaram. Aproveito o ensejo para também agradecer a E.M. de Sossego e a E.M. Vitor Sarlo (Amontado) esta, que no dia 31/09/2013, que na abertura das comemorações a semana da Pátria, em Buena, também muito me honrou com suas homenagens.

LENDA DA BAILARINA ANA DE AUTORIA DE ROBERTO PINHEIRO ACRUCHE E TEMA DE PROJETO UNIVERSITÁRIO

A lenda da Bailarina Ana
Autor: Bruna Santos C. Mattos
Orientador: Jofre da Silva

Projeto fotográfico baseado na lenda da Bailarina Ana, de Roberto Pinheiro Acruche,  realizado na Floresta da Tijuca, Rio de Janeiro.
Modelo: Fernanda Monteiro
O projeto:Como o ponto inicial do projeto é mostrar o lado místico da Floresta, foram pesquisados textos e lendas para embasá-lo. Até que a lenda “A lenda da Bailarina Ana” fosse a escolhida para basear o ensaio, em conjunto com a trova de mesmo nome que a resume.
Esta lenda representa bem o tema proposto, da magia e misticismo, por trabalhar tanto com o lado delicado do balé clássico, quanto o lado fantasmagórico, como se a bailarina nunca tivesse abandonado a floresta, mesmo após a morte.
Resumo da lenda:
Segunda a lenda de Roberto Pinheiro Acruche, Ana era uma menina do interior, que morava em uma fazenda com uma grande floresta em seus arredores, que não teve nenhuma formação no balé clássico, porém se tornou uma bailarina famosa. Com apenas os treinamentos solitários pela floresta, ela realizava os movimento do balé com delicadeza e perfeição de todas as técnicas que nunca estudou. Sua habilidade despertou a inveja das outras bailarinas que estudaram por anos e não conseguiram a fama que Ana possuía. Um dia Ana foi treinar na floresta, seu local preferido, mas nunca retornou. Como medida desesperada, seus pais mandaram derrubar todas as árvores para encontrar a filha, ficando
assim um imenso descampado por muitos anos. Até que, depois de muito tempo, nasceu na floresta uma árvore com o formato de uma bailarina executando um dos passos do balé clássico, o que era a maneira da floresta eternizá-la.
Autor da lenda: http://robertoacruche.blogspot.com.br/2010/12/lenda-da-bailarina-ana.html
Especificações:O projeto fotográfico consiste em 20 fotografias da bailarina pela floresta, onde, na exposição, cada fotografia é coberta com papel vegetal, formando uma aba a ser levantada, como uma capa translúcida que foi impressa com um trecho da trova relacionado à foto. Todas as fotografias, com suas respectivas abas, devemser  penduradas com barbante, seguindo a ordem da canção. Essa "capa" garantirá a narrativa e
guiará o expectador, além de criar um mistério, cobrindo parcialmente a fotografia. Assim, o público terá que chegar perto, ler o trecho da música referente à lenda, levantar a aba de papel vegetal e só depois analisar a foto. Um processo que criará um ar místico, misterioso e induzirá o expectador a desvendar a foto, A lenda da bailarina Ana.

O RIO

O RIO
Roberto Pinheiro Acruche

O rio passa
sereno... pacato...tranquilo...
Lentamente, com destino ao mar.
Durante o dia, suas águas cintilam
com os raios dourados do sol.
À noite, espelha as estrelas que brilham no céu.
E quando é lua cheia, ai então,
se transforma numa paisagem prateada
que encanta nossos olhos.
Nessa caminhada lenta,
atassalhando o solo,
irrigando as várzeas,
passam flutuando os galhos que secam
e caem dos seus troncos,
e sem destino, são levados e deixados,
cumprindo, quem sabe, as funções da natureza;
assim como as folhas que se soltam de seus galhos, as pétalas de flores que se desmancham
atirando-se nas águas em busca do seu fadário.
De vez em quando, flutua num navegar vagaroso, a canoa do pescador,
que rema pacientemente rumo ao ponto
onde esperançosamente arremessa a sua rede
na perspectiva de encontrar o cardume
ou então, a mais linda espécie originária daquelas águas; que enriquecerá a sua mesa ou a história que orgulhosamente conta de seus feitos.
O quadro é deslumbrante!...
Principalmente quando a vegetação,
sempre vistosa de suas margens,
como se desejassem beijar as águas
que irrigam as suas raízes,
deixa-se cair em sua busca;
assim como as árvores,
talvez encantadas com a beleza da imagem,
risonhas e felizes, a completa fazendo-se florir,
cada uma com a sua tonalidade,
colorindo num contraste
somente capaz de ser criado pela Divindade.
Em toda a sua trajetória, banhando as pedras,
rompendo obstáculos, cruzando campos,
atravessando as sombras dos arbustos que se fecham fazendo-lhe continência,
sob a luz do sol que vem do firmamento azul,
ou da noite escura refletindo nas águas as estrelas e até o prateado do luar sempre enamorado... Majestosamente, o Rio, que é vida, sonho, poesia, verso, símbolo, inspiração, chega a sua foz cantando e harmonizando uma imagem, cuja decoração, unicamente os Deuses seriam capazes de arquitetar.
Ah!...Meu rio poeta, inspirador...
Abençoado sois...
Maculados são aqueles que denigrem a sua imagem e tentam impedir o seu seguimento,
a sua missão,
que proporciona a natureza misteriosa,
elaborar as etapas de sua interminável evolução.

SEDE DE AMAR

SEDE DE AMAR
            Roberto Pinheiro Acruche
Dê-me o seu pecado,
esse corpo molhado,
quero saciar a minha sede...
A sede de lhe amar,
a sede de penetrar
nos mais íntimos sentimentos seus.
Entrega-me o seu pecado,
quero acariciá-la lentamente
fazê-la sentir suavemente
o desejo ardente
de possuí-la na fantasia dos meus sonhos.
Dê-me este corpo que me alucina,
que encanta o meu ser
que me faz padecer
na insuportável espera
de adormecer-me em seus
braços depois do prazer.
Não resista os meus apelos,
por que suporta seu desejo
tão delirante quanto ao meu?
Você não mais consegue esconde-lo,
ele aflora em seu ser
que deixa transparecer
em cada olhar, em cada beijo,
em cada abraço.
Será isso um capricho
que lhe faz adiar esse enlace?
Vamos acabar com esse disfarce,
venha me abrace,
desnuda-se e deixe seu corpo juntar-se ao meu,
que nesse encontro
todos os pecados serão perdoados,
serão dois seres apaixonados
que se unirão na graça bendita do amor.

POEMA "A ÚLTIMA GOTA"

A ÚLTIMA GOTA
Ela suspirou densamente
como se aspirasse
à última gota de oxigênio!
         Fechou os olhos,
         seus fascinantes olhos claros,
         entregando-me os seus lábios
sedentos de amor!
         E um beijo prolongado, selado, molhado,
         irrigou os nossos corações
         despertando ainda mais,
         a paixão que nos envolvia.
No calor de nossos abraços,
fomos nos despindo de cada peça
que impediam o encontro de nossa pele.
                   Desnudos, e num trocar de carinhos
                   fomos devagarzinho
fazendo fluir a chama que nos aquecia.
         Ardentemente nos entregávamos,
         numa entrega sem pudor,
         esbanjando amor
         em cada pedacinho de nosso ser.
Os lençóis rolaram,
os travesseiros caíram,
a melodia que climatizava romanticamente
o ambiente, acabou
e só fomos perceber
que depois do prazer
adormecemos respirando o ar da felicidade.
         Os nossos olhares se cruzaram,
         nossos lábios murmuraram e
         respiramos instintivamente
         o ar do amor.
Eu, depois disso tudo,
aspirando lentamente o
aroma suave da flor,
que adormeceu entre meus braços,
suspirei densamente,
como se aspirasse
à última gota de oxigênio.
Autor: Roberto \pinheiro Acruche

PASTOR EBENÉZER SOARES FERREIRA E ROBERTO ACRUCHE

Vivi hoje um dos momentos mais emocionante de minha vida; ao entregar ao Pastor, Professor (do qual sinto a honra de ter sido aluno), o Livro de Minha autoria "A Minha Terra também faz parte da história do Brasil" a uma das mais importantes personalidades deste Estado do Rio de Janeiro, por sua cultura, idoneidade, pelos inestimáveis serviços prestados a educação, a cultura nacional; escritor, autor de dezenas de Livros, jornalista, líder, meu amigo, confrade e conterrâneo Ebenezer Soares Ferreira. Ainda receber do mesmo, o que me levou a emoção, o Livro de Sua autoria: Memórias inacabadas...
Quero agradecer ao Pastor Ademir Ramos, que nos proporcionou esse encontro e carinhosamente nos recepcionado; e ao Marcos Raymundo que fotografou e amavelmente  me enviou as fotos. Vou postar no meu Blog - www.robertoacruche.blogspot.com outras fotos e dados completos desse momento.
 Foi com muita emoção que vivi esse momento na 1ª Igreja Batista de São Francisco de Itabapoana - sendo recepcionado, amavelmente, pela Igreja e poder saudar meu professor, amigo, confrade e conterrâneo Ebenézer Soares Ferreira, a quem sou grato pelos muitos ensenimentos e exemplos que o mesmo me proporcionou.
 Entregando ao ilustre educador, Pastor Ebenézer Soares Ferreira, o Livro de Minha autoria "A Minha Terra também faz parte da história do Brasil"
 Pastor Ademir Ramos da 1ª Igreja Batista de São Francisco de Itabapoana-RJ e Pastor Ebenézer Soares Ferreira
Momento que eu, Roberto Pinheiro Acruche, homenageava o Pastor Ebenézer Soares Ferreira, sendo assistido pelo Pastor Ademir Ramos e pelos membros da Igreja. (Todas as fotos aqui expostas, foram gentilmente cedidas por Marcos Raymundo.)

DIRETORIA DA SOCIEDADE CONGRESSO DE CULTURA LATINA -SEÇÃO BRASIL - RIO DE JANEIRO



 
SOCIEDADE CONGRESSO DE CULTURA LATINA – SEÇÃO BRASIL – RJ Assessor Cultural Gerdal R. dos Santos, Secretária Flávia Dantas, Assistente Cultural Neiva Fernandes, 1ª. Suplente da Senadoria Eliana Mariath Dantas, Senador Cultural Titular Agostinho Rodrigues, Assessor Cultural Roberto Acruche,  Secretário  Carlos Augusto Souto de Alencar e Assessora Cultural Patrícia Bueno, todos presentes a solenidade dos Melhores do Ano do Rio de Janeiro realizada no dia 13 de abril de 2013 no Forte do Leme.

18 DE JULHO - DIA DO TROVADOR - HOMENAGENS

18 DE JULHO - DIA DO TROVADOR

Jorge Amado já disse: Não pode haver criação literária mais popular e que mais fale diretamente ao coração do povo do que a trova. É através dela que o povo toma contato com a poesia e por isto mesmo a trova e o trovador são IMORTAIS.


A mensagem de Jesus,
que percorre o mundo inteiro,
é como um rastro de luz
no meio do nevoeiro.      
                          Roberto Pinheiro Acruche
Roberto Pinheiro Acruche na Academia Brasileira de Trova.

Agradeço as inumeras mensagens, E-mail, e telefonemas me homenageando pelo dia do Trovador.

Agradeço a comunidade de Conselheiro Josino a recepção calorosa, a homenagem e os aplausos que me foram dirigidos,  ontem dia 17/07/2013, na Casa de Cultura local.

ROBERTO PINHEIRO ACRUCHE - MEMBRO HONORÁRIO

Roberto Pinheiro Acruche agora é membro honorário da Academia Brasileira de Trova.  No dia 07/05/2013, no Rio de Janeiro, foi carinhosamente recebido e muito aplaudido, sendo inclusive ovacionado ao declamar em Trovas a Lenda da Moça Bonita, conto que faz parte da cultura sanfrancisca. A Presidente da Academia, Messody Ramiro Beloniel o recepcionou e fez a entrega do Certificado e do Distintivo. Na foto, membros da Diretoria e Consagrados Poetas e Trovadores.

  

CRIATURA

CRIATURA

Tenho a força das águas
que cortam os vales,
rompem as barreiras
e vazam as pedras.

Tenho a têmpera do fogo
que queima,
que arde,
que o coração invade,
que transforma a madeira em carvão,
que é luz, é mistério,
que liquefaz os minérios.

Tenho a dureza da pedra,
do ferro,
do aço,
do diamante.

Tenho a conduta do vento...
Às vezes rápido,
às vezes lento,
ora delicado como a brisa,
ora violento, tal qual um furacão
tempestuoso, tal qual um tufão.

Tenho a fragilidade da vida,
o enigma da sorte,
a eternidade da morte.
Sou humano!
Roberto Pinheiro Acruche




ROBERTO ACRUCHE É MAIS UMA VEZ PREMIADO EM CONCURSO DE ÂMBITO ESTADUAL REPRESENTANDO SÃO FRANCISCO DE ITABAPOANA

Com a trova cujo tema é TRIANON Roberto Acruche representando São Francisco de Itabapoana é mais uma vez vencedor de concurso literário de âmbito estadual.

TENS CONTAS PARA AJUSTAR?


EXPLANAR O ÓBVIO É MUITO FACIL!




Explanar o óbvio é muito fácil, difícil é ter propostas, encontrar soluções, alternativas para tirar o Município da situação que se encontra. Por motivo de força maior não fui a audiência pública realizada na Câmara Municipal de São Francisco de Itabapoana, sobre a Ponte João Figueiredo, (se é que vão manter essa denominação). Na verdade, a grande luta e  verdadeira batalha para a construção desta obra, foi travada pelo saudoso Deputado Federal Alair Ferreira. Homem público a quem se deve muito pelas realizações empreendidas, especialmente na região norte do Estado do Rio de Janeiro. Não vou e nem quero tratar aqui de seus métodos de fazer política, pois cada um tem seu estilo e certamente acreditam que os seus são os melhores; mas o que se sabe, é que muitos projetos para a região acabaram por não acontecer e que muitas instituições ficaram órfãos com a sua morte. Outra verdade é que grande parte dos sanjoanenses não acreditavam na realização da obra e alguns políticos que não comungavam com os mesmos ideais partidários do Alair faziam chacotas quando o mesmo anunciava que iria construir a ponte. No entanto, ela foi iniciada e sua edificação foi em ritmo surpreendente; surgiram até ideias mirabolantes, alguém chegou a defender que além da ponte, ali deveria ser feita uma barragem, um vertedouro, para reprezar as águas do Paraíba, afim de manter um nível mínimo a ser estabelecido com a finalidade de ser utilizada na agricultura. Porém, um sonho que se tornava realidade acabou com a morte do “Deputado das realizações”. Após o seu passamento, vários políticos começaram a adotar a obra e prometiam concluí-la, o que não passou de promessa. Surge agora uma nova investida e uma nova proposta de construção da ponte, não se esquecendo de citar que antes, um outro movimento foi liderado pela Prefeita Carla Machado, inclusive sustentado por estudos e pareceres técnicos que não só garantiam as qualidades dos pilares como o fator econômico no caso de seu aproveitamento. Bem, apesar dos esforços da Prefeita, não conseguiu a mesma os recursos indispensáveis para conclusão da tão sonhada obra.Os tempos mudaram, outros fatores surgiram e passaram a contribuir e até influenciar para a construção da ponte, e com isso, até uma nova localização. Pode ser que os argumentos ora usados se justificam, mas, se pegarmos os mapas do Estado da década de 70 e 80, vamos descobrir que a localização da ponte João Figueiredo foi estabelecida no local que estava prevista a passagem da rodovia translitorânea, a projetada RJ-196. Outro argumento é quanto o custo e o fato, que para a conclusão da ponte no local onde se encontram os pilares construídos, haveria a necessidade da construção de 5 km (cinco quilômetros) de viaduto para dar acesso as cabeceiras. Ótimo, se a mudança de local ira viabilizar a construção que mude, mas, nos deixar a expectativa de que poderá haver cobrança de pedágio e a praça de cobrança vir a ser estabelecida no território sanfranciscano é mais uma carga para nossa gente carregar. Se a obra não for inteiramente pública, que esta praça de pedágio seja construída do lado de lá, do lado mais rico, entre o lado de cá e o de lá, sequer precisa fazer estudo econômico para saber que pode pagar. Vejam bem, basta o absurdo de estarmos entre dois municípios que recebem royalty como produtor de petróleo e mantermos a condição de limítrofe, basta as condições que os três municípios, nossos vizinhos mais próximos tem para investimento, conquistando todas as oportunidades, como construção de portos, estaleiros e indústrias, tornando-nos cada vez mais dependentes. Vamos ter um porto a nossa esquerda e direita, as industrias sendo estabelecidas na divisa territorial, utilizando nosso patrimônio humano, natural, produção e nos deixando o legado da degradação ambiental. Aguardem a FERROUS e outras!



A BELEZA DO UNIVERSO


A obra Divina é tão esplendorosa, que a cada vista um novo e fascinante quadro é revelado.

ROBERTO ACRUCHE RECEBEU O TÍTULO DE MÉRITO CULTURAL DA ACADEMIA BRASILEIRA DE TROVAS

Recebi, com muita honra, o título de mérito cultural da Academia Brasileira de Trovas.
Dedico-o a todos os sanfranciscanos. Cada vitória que conquisto, a minha maior alegria e poder dedicá-la a minha terra natal.

POEMAS DE ROBERTO ACRUCHE SERÃO EXPOSTOS

Aproximadamente duzentos poemas de autoria de Roberto Pinheiro Acruche poderão ser expostos em Minas Gerais.

É A ROSA DENTRE AS FLORES A MAIS BELA


POR MEU AMOR FIZ LOUCURAS

Você já teve ou tem um grande amor? Já fez alguma loucura por ele?

AS MARAVILHAS DO MUNDO


GARGAÚ É UMA BELEZA!



Gargaú reúne em sua história uma série de acontecimentos, contos e conquistas que prendem em nossa imaginação e aguçam a nossa curiosidade. De uma beleza inconfundível, criada pela própria natureza, que centralizou no mesmo lugar: mar, rio, restinga, lagoas, ilhas e a misteriosa riqueza dos manguesais. 

 

GARGAÚ É UMA BELEZA, RICA PELA PRÓPRIA NATUREZA!

BARRA DO ITABAPOANA BERÇO DE NOSSA HISTÓRIA

Barra do Itabapoana, sede do 2º Distrito de São Francisco de Itabapoana, é historicamente uma das mais importantes, tradicional, pioneira e preservadora da nossa cultura. Berço da colonização da nossa região, Em suas imediações foi edificada em 1538 a Vila da Rainha, sede da Capitania de São Thomé; alí foi plantada a primeira cana-de-açúcar;  em 1543 foi construído o primeiro engenho; em 1670 reiniciava-se a sua ocupação por novos povoadores; em 1723 recebia a visita de negociadores da época que vinham de São Paulo; em 1748 Francisco Dias fixou em Barra  a sua residência sendo logo encarregado da passagem do Rio Itabapoana; em 1868, o historiador Fernando José Martins afirmava que a povoação de Barra, onde estava criada uma freguesia tinha um sobrado, vastos trapiches de sólidas de sólida construção, mais de oitenta edifícios, sendo alguns elegantes e navegação importante; em 1785 Manuel Martins do Couto Reys, em seus manuscritos fazia várias citações sobre Barra; em 1820 chegava a Barra o Príncipe Maximiliano, que escreveu o livro "Reize Nach Brazillien" ; em 1857 mais precisamente no dia 15 de outubro, Barra estava em plena ascensão, com seu porto e comércio bem movimentado, vindo conhecer seus melhores dias a partir do ano de 1939, quando escolhida, para sediar as instalações da grande fábrica Tipity. Entre tantos outros acontecimentos, inclusive pioneiros, Barra foi sede também da 1ª Igreja Evangélica. É Barra do Itabapoana, portanto, berço da nossa história!

ASSIM SEJA!




Quem Sou eu

Eu sou um caso,
um ocaso!
Eu sou um ser,
sem saber quem ser!
Eu sou uma esperança,
sem forças!
Eu sou energia,
ora cansada!
Eu sou um velho,
ora criança!
Eu sou um moço,
ora velho!
Eu sou uma luz,
ora apagada!
Eu sou tudo,
não sou nada!
Roberto P. Acruche

ESCREVA PARA MIM!

rpacruche@gmail.com
Visitas

free counter
Orbitz Cheap Ticket

Visitantes Online